16°C 19°C
São Paulo, SP
Publicidade

Crianças da Favela Marte recebem oficina e contação de história d e boneca Abayomi

Entrega de contrapartida encerra neste sábado, 20

20/04/2024 às 08h35
Por: Redação
Compartilhe:
Crianças da Favela Marte recebem oficina e contação de história d e boneca Abayomi. Foto: divulgação
Crianças da Favela Marte recebem oficina e contação de história d e boneca Abayomi. Foto: divulgação

Elis Bohrer leva seu projeto “Abayomi: produção de bonecas, a história de uma menina negra e os encontros que trazem esperança” para as crianças da Favela Marte. A contação de história conta com a atuação de David Balt, Lila Santiago e Glaucia Ramires e com os músicos Rogerio Pinheiro e Sandro Suarez. 

Continua após a publicidade

Baseada na obra “Vida Que Voa”, escrita pela própria criadora da boneca Abayomi, a maranhense Lena Martins, a contação coloca as potencialidades da criança negra no centro. A performance atinge o auge quando no embalo de uma rede,  menina Isadora juntamente com a avó, tem uma conversa que apesar de poucas palavras, é muito profunda. 

“A cultura afro-brasileira é muito rica. A Abayomi ‘nasceu’ livre, ela já faz parte da construção da identidade brasileira e carrega consigo muita potência em forma de singeleza. Todo mundo pode produzir a boneca”, explica Elis Bohrer, idealizadora do projeto. 

A boneca Abayomi é feita em tecido preto, sem traços faciais definidos, para que possa representar todas as etnias africanas, feita sem usar cola ou costura.

“Levar Abayomi e esses artistas maravilhosos para as escolas e projetos sociais é também levar representatividade e resgate histórico e cultural de um povo que foi apagado e silenciado”, finaliza. 

O projeto foi selecionado através da Lei de Fomento à Cultura Paulo Gustavo e conta com a participação de oito artistas que vivem em Rio Preto.

Outra perspectiva 

Histórias míticas acerca da Abayomi foram criadas, que inclusive desvirtuam a real história do processo diaspórico de países africanos. Indo na contramão do que vem sendo difundido através da boneca, o projeto de Elis Bohrer conta a história de uma criança que nasceu “alforriada”. 

 

Inspirada no livro “Vida que Voa” de Lena Martins, a contação trata da história de afeto entre uma avó e sua neta, com muita profundidade, a conversa acontece no balançar de uma rede. 

Lena Martins 

A boneca Abayomi, importante símbolo de resistência negra na cultura brasileira, foi criada pela artesã maranhense Lena Martins no final da década de 1980, quando se discutia a marcha pela farsa de 100 anos da abolição e o movimento das mulheres negras passava por um intenso período de produção de conhecimento e crescente visibilidade.

 Lena, radicada no Rio de Janeiro e participante deste movimento, era animadora cultural do CIEP Luiz Carlos Prestes, na Cidade de Deus, quando em 1987, criou a boneca preta feita com retalhos de pano, sem cola e sem costura, que foi batizada um tempo depois por Ana Gomes, que na época estava grávida. Ana contou que se a criança fosse menino se chamaria Abebe Bikila e se fosse menina se chamaria Abayomi.

Como nasceu menino, o nome enfim chegou para a boneca com a explicação de seu significado: meu presente. No início da década de 90, com a formação da Cooperativa Abayomi, composta por mulheres artistas e educadoras, a boneca (e toda a carga histórico-social que gestou sua criação) começa então a ser difundida com oficinas e vivências realizadas em diversas partes do Brasil.

Elis Bohrer 

Cantora, compositora, musicista, jornalista e produtora cultural, Elis Bohrer é uma mineira, de Ouro Preto, que se apaixonou pelo interior de São Paulo, onde desenvolve diversos projetos artísticos voltados para a cultura afro-brasileira, mulheres e infância.

Idealizadora de “Samba e Ancestralidade”, “Ao Som Desse Bolero”, “Música na Feira e Mulheridades”,  entre outros projetos, está vice-presidente do Conselho Municipal Afro, onde atua políticas de combate aos crimes de racismo em São José do Rio Preto e Região. 

Abayomi - produção de bonecas, a história de uma menina negra e os encontros que trazem esperança na Favela Marte

Dia: 20/4

Horário: 10h

Local: Favela Marte

Classificação: Livre para todos os públicos 

Ficha Técnica

Elis Bohrer: produtora cultural e executiva, voz e violão, assessora de imprensa e contadora de história

Lila Santiago: atriz e arte educadora

David Balt: ator e arte educador

Sandro Soares: violonista

Glaucia Ramires: roteirista e acompanhamento pedagógico

Rogerio Pinheiro: percussionista e produtor musical

Thaisy Rodrigues: tradutora de libras

Denise Cristina: identidade visual e artes digitais 

Leia também: Confira a programação do Cinepanorama para os próximos dias

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sem foto
Sobre o município
Ver notícias
São Paulo, SP
19°
Tempo nublado

Mín. 16° Máx. 19°

19° Sensação
3.13km/h Vento
80% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h48 Nascer do sol
05h29 Pôr do sol
Qua 28° 15°
Qui 25° 17°
Sex 28° 16°
Sáb 21° 14°
Dom 13° 11°
Atualizado às 10h06
Publicidade
Publicidade
Anúncio
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,72%
Euro
R$ 5,81 +0,34%
Peso Argentino
R$ 0,01 +1,20%
Bitcoin
R$ 356,731,99 +3,74%
Ibovespa
122,417,01 pts -0.18%
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias